Arquivo da categoria: Filia

31- Coração Mulher

Meus cabelos  Meu véu

Meus olhos  Meu céu

Meus seios  Acalanto

Minha boca Meu canto

Meu corpo Minha dança

Meu Ser Meu prazer

Lua fases Sol quente

Estrela brilhante

Terra firme Água Vida

Coração Mulher…

Anúncios

1 comentário

Arquivado em eGo, Filia

23 – Ontem, Hoje, Amanhã

O tempo anda escasso.
Muito trabalho – em múltiplos sentidos.
Reclamar? Não, não reclamo.
Abro muitos sorrisos.
E em múltiplos sentidos – Vivo.

Para: eGo
G.Brandão

1 comentário

Arquivado em eGo, Filia

14 – A Teoria do Abraço

Abraços de braços abertos expansivos; a todos abarcam.
Abraços de braços fortes, suaves protetores.
Abraços de meio corpo ou de corpo inteiro.
Abraços de amigos, irmãos, pais, amores…
Abraços que ficam só na vontade, desejo ou pela metade.
Abraços que levantam a gente no ar.
Criaturas que abraçam com o olhar.
Humanos que abraçam com palavras.
Seres que abraçam com tudo isso e algo mais.

Abraços e há braços.
“Eu quero abraçar com tudo.”

Para Ka
G.Brandao

2 Comentários

Arquivado em Filia

10 – Divindade

Lembro do desespero, da tristeza e da solidão.
Lembro de cair e não mais querer levantar.
Lembro do sentimento de derrota que me cercava; pensei que não iria aguentar, que iria morrer. Eu quis morrer.
Perguntei por que logo eu, logo comigo e porque o Universo me maltratava daquela maneira.
Passei dias no escuro, me recusando a sair da cama, a abrir a janela, a encarar o Mundo.
Culpei os outros, desprezei a Vida, abandonei a Fé, as orações, os rituais.
Chinguei tudo e todos.
Chorei com dó de mim, até não poder mais.
Larguei meus dons.
Desanimei tanto que havia decidido viver por viver; nada me alegraria, nada me entristeceria.
Fechei lábios, coração e quarto.
Neles, só silêncio e escuridão…

Então o desespero foi dissipando e fui levantando.
Na cerca da derrota, começaram a aparecer alguns buracos.
Descobri que mesmo triste e sem querer muito, eu poderia viver um dia de cada vez.
Parei de questionar o Universo e procurei a lição que estava sendo ensinada, ainda que no momento, amarga.
Abri a janela, arrumei a cama, comecei encarando e limpando o meu mundo.
Tirei a culpa dos outros e assumi a responsabilidade por meu destino.
Pedi perdão a tudo e a todos.
Perdoei a mim.
E a Vida, em sua infinita generosidade, trouxe novas oportunidades.
Seres – entes queridos – nela já contidos, me sustentaram durante o doloroso período; novos seres, por ela trazidos, tornaram-se entes queridos e mostraram-me novas possibilidades.
E entre essas novas possibilidades o despertar de dons há muito adormecidos.
Entre eles, o dom do Amor.
Amor esse que expandiu e fez com que eu voltasse a me amar.
E com esse sentimento, retornasse à Fé, às orações e aos rituais.
Meus lábios abrem-se em mil sorrisos, meu coração bate feliz e meu quarto é abrigo de luz e de todos os elementos abençoados, inclusive da Divindade que o habita.
Que aliás, nunca o deixou, nunca me deixou.
Mesmo em meu pior momento, sempre cá esteve.
O Amor está aqui.

Para Gaby
G.Brandão

1 comentário

Arquivado em eGo, Filia

3 – Libra

Doce de pessoa, Doce de Menina

Eu me quero tola, dramática, louca, sonhadora.
Eu me quero saudosa, medrosa, verdadeira, corajosa.
Eu me quero dona, menina, mulher, deusa.
Eu me quero ar, vida, morte, renovação.

Eu não me quero do jeito que você me quer
Longe, sensata e fria.
Colega, conhecida, Amiga, inimiga.
Sem Afeto, Paixão ou Coração.

Quero teu corpo, teu sonho, teu Amor.
Quero Você e Eu em equilíbrio.
Nós dois. Um Ser. Perfeito.
Por inteiro.

Para Docinho Dark
G. Brandão

1 comentário

Arquivado em Filia